segunda-feira, 25 de abril de 2011

LIMBO




Eu flutuo agora
Que sensação é essa?
É como se minha alma estivesse totalmente fora do meu corpo,
E o mundo não tivesse mais controle sobre mim.
Girando eu permaneço, e a gravidade já não me vence
E eu só escuto esse gemido que sai do âmago do meu ser
Salve-me, salve-me...

Esse balé no meu coração
Tá começando a me engasgar
Mas eu não vou chorar,
Deixarei esse grito silencioso...
Por que esse sopro que me movimenta agora, é tão forte,
Como se calafrios saíssem dos meus poros e se transformassem em energia
E eu sei que essa energia vai renovar minhas forças.

Nessa escuridão boa, como acharei meu rastro?
Estou me abandonando agora e se eu me perder nesse limbo, desaparecerei...
E no meio dessa passagem, não haverá culpados
Pois eu serei completo, quando me encontrar pela última vez comigo...

2 comentários:

  1. Obrigado Carla,
    Sinta-se sempre a vontade para retornar e compartilhar poemas também.
    :D

    ResponderExcluir